sábado, 5 de fevereiro de 2011

2 comentários:

J. R. Franco disse...

Parabéns, muito bom o seu trabalho nos blogs, gostei deveras! Aprecio as pessoas que conseguem mergulhar fundo, porque é no mais profundo que estão as pérolas mais preciosas. Por enquanto, dentro das minhas limitações, só consigo nadar no raso, mas sempre sonhando com o fundo. Abraço.

Ademar Bayma disse...

Análise muito procedente!De fato, Werk consegue fazer um retrato escrito da semiose que envolve o mundo (ribeirinho)amazônico. E a partir da leitura que você faz, reforça o intento do autor!! É como se lapidasse um diamante que outrora muitos viam uma simples rocha! Tive contato com a obra de Werk, ainda nos anos 80; percebi a sutileza com que descrevia as coisas simples da vida do caboclo! Trilha dágua é um exercício de sensibilidade!